Boletim Fluxus Inverno 2010
Case em destaque


Simulação do sistema de transporte de Gusa líquido da ArcelorMittal Tubarão


“Obtivemos uma economia cerca de cem vezes maior que o valor investido na consultoria que contratamos da Belge”.

Sobre a empresa

A ArcelorMittal Tubarão (CST), maior produtora mundial de semi-acabados de aço, foi constituída em junho de 1976, como uma ´joint-venture´ de controle estatal. Porém suas operações começaram, em novembro de 1983. Nesse período, a CST criou e consolidou sua liderança no mercado. Após a privatização, em 1992, a Companhia passou a ser controlada por grupos nacionais e estrangeiros.

Objetivos e Escopo do Projeto

O projeto tinha por objetivo simular a expansão da capacidade de produção de 5 para 7,5 milhões de toneladas ao ano, dimensionando a quantidade de equipamentos adicionais necessários, como os carros-torpedo (CT’s) e locomotivas. Outra questão levantada era a mudança na operação de descarga de gusa na aciaria.
Neste projeto, a simulação contemplou as áreas dos Altos-fornos, a Aciaria, as linhas férreas e os processos intermediários, tais como manutenções, dessulfuração, aquecimento, máquina de moldar gusa e limpeza, além dos recursos de transporte (CT´s e locomotivas).
Dessa forma, era possível avaliar parâmetros como: oferta de gusa dos altos-fornos, a frota de carros-torpedo e de locomotivas, as respectivas taxas de ocupação, etc.

Resultados

Com os resultados, a CST pôde prever o desempenho de seu sistema de transporte de gusa líquido em situações semelhantes às atuais e também para situações futuras. Foi possível apontar, também, possíveis “gargalos” do processo, de modo a avaliar melhorias a serem implementadas. Através do modelo, descobriu-se que a compra de carros-torpedo adicionais estava super-dimensionada. Cada carro-torpedo custa cerca de 2 milhões de dólares, o que evidencia a dimensão da economia alcançada pela CST com o projeto de simulação.

 


Rua Bernardino Campos, 318 - 10° andar - Brooklin - SP
belge@belge.com.br - www.belge.com.br
Caso não queria mais receber este informativo acesse este link