• Case V&M

    Case V&M

    Projeto da nova linha de tratamento térmico.

    por José Maurício Nunes Mendes - Superintendência de Planejamento e Logística da V&M*

"Obteve-se aumento de 8% na produção apenas melhorando processos e seqüenciamento"

Sobre a empresa

Tubos de aço produzidos pela V&M

V&M do Brasil é uma joint-venture formada entre a Vallourec e a Mannesmannrohren-Werke em outubro de 1997. A V&M do Brasil conta atualmente com aproximadamente 5000 colaboradores efetivos, incluidos nesse total aqueles da V&M Mineração e da V&M Florestal. A V&M do Brasil fabrica cerca de 450 mil toneladas de tubos de aço sem costura por ano para os setores petrolífero, industrial, automotivo e construção civil. A V&M do Brasil se preocupa também com o meio-ambiente, participando de projetos que já somaram o equivalente a 160 mil campos de futebol de área reflorestada.

Objetivos e escopo

Os engenheiros da V&M decidiram utilizar simulação porque consideram-na uma técnica avançada que promove a melhoria da qualidade das decisões, além de possibilitar uma visão geral do processo (gargalos, performance, WIP, utilização de recursos, etc.). Outros benefícios que levaram a V&M a optar pela simulação foram a possibilidade de se comparar alternativas de projeto no que diz respeito ao dimensionamento de recursos, à racionalização do fluxo produtivo e à integração das unuidades produtivas, substituindo a intuição pela experimentação em todos aqueles casos.

Com um investimento previsto de cerca de R$26 milhões, a V&M do Brasil buscava melhorias no fluxo logístico do seu tratamento térmico, nos equipamentos (alterando processos e capacidades) e no sistema de automação (analisando segurança, qualidade e redução de custos). Foi feito então um modelo no ProModel que retrata com fidelidade as mudanças de setup nos fornos, além do sincronismo entre os processos de produção e os de inspeção.

Simulação da nova linha da V&M

O modelo ainda contempla diferentes alternativas de seqüenciamento e de mix de produção (~100 produtos diferentes). Para garantir a fidelidade do modelo, foram modeladas pontes rolantes, esteiras e turnos de trabalho, sempre utilizando-se dados estatísticos do sistema real.

Resultados e Ganhos

As análises que os engenheiros da V&M do Brasil tinham em mente desde o início do projeto tornaram-se possíveis:

  • Comportamento do estoque na entrada e wip
  • Gargalos da linha
  • Alternativas de seqüenciamento e de mix
  • Integração entre produção e inspeção
  • Capacidade de atendimento da ponte rolante
  • Capacidade produtiva em função do mix

Para tornar estas análises mais completas, foram desenvolvidos cenários baseados no tipo de programação da produção. Foram analisados os casos em que a programação é feita anteriormente, baseada no diâmetro dos tubos ou no setup dos diferentes produtos. Também foram analisados cenários onde se modificava a capacidade do equipamento de inspeção a ultra-som.

V&M do Brasil relatou diversos resultados do projeto de simulação:

  • Conclusão sobre o melhor critério de programação da produção: por menor tempo de setup
  • Cálculo da capacidade de produção real
  • Identificação inesperada da necessidade de um estoque intermediário entre as linhas de produção e de inspeção
  • Avaliação da capacidade da ponte na tarefa de abastecimento do estoque e das linhas.

Atualmente, outro projetos estão em andamento na V&M do Brasil, que incorporou o uso da tecnologia de simulação ao seu dia-a-dia.

Processo em operação

Tendo em vista os benefícios e os resultados trazidos pela simulação, a presidência da empresa adotou a seguinte política:
SEMPRE SIMULAR ANTES DE INVESTIR.

*Resumo de palestra proferida na Innovation 2001