• Votorantim Cimentos

    Case Votorantim

    Planejamento Logístico Integrado da Manufatura e Distribuição

    por Rodrigo Cintra - Gerente de Planejamento do Supply Chain, Votorantim Cimentos

"Um sistema de simulação inovador que integra a manufatura com a distribuição.."

Sobre a empresa

Votorantim CimentosO Grupo Votorantim foi fundado em 1918 e hoje conta com mais de 60 mil colaboradores. Em 2006, a receita líquida do grupo foi de R$ 29 bilhões. A Votorantim Cimentos (VC) é uma divisão da Votorantim Industrial e está entre as 10 maiores indústrias de cimento do mundo, produzindo 25,2 milhões toneladas de cimento por ano. Seus principais produtos são: cimento, argamassa, cal, concreto, calcário agrícola e gesso. No Brasil, engloba 25 fábricas e 56 centros de distribuição (CDs). Também possui fábricas no Canadá e Estados Unidos.

Objetivos e escopo

A VC sempre teve dificuldades no planejamento da região nordeste, devido à sazonalidade do período de chuvas. Lá, imperava a tradição de atuação corretiva na programação logística. Somado o desejo de modernizar seu planejamento com adoção de novas tecnologias, com o potencial da tecnologia de simulação dinâmica, a VC contratou a Belge para desenvolver uma ferramenta de simulação que considerasse tanto as principais restrições fabris (p.ex.: manutenções em fornos e moinhos), como também a logística de distribuição, visando melhorar a assertividade do planejamento logístico e passar a ter uma postura mais pró-ativa e menos reativa.

Rede de distribuição Uma das usinas modelada

O modelo desenvolvido em ProModel considera toda a cadeia logística da região nordeste do Brasil, a qual compreende: 3 Fábricas (Cearense, Cipasa e Barcarena); 01 Porto (Fortaleza) e 5 CDs (Fortaleza, Teresina, Imperatriz, São Luís e Belém). Foram considerados 7 produtos: CPIIZ, CPIIF, CPIII, CPIV, CLK NAC, CLK EXP e CP IND, produzidos em embalagens de 25 kg, 42 kg, 50 kg e big bag, além de granel. O modelo foi totalmente parametrizado, para que a Votorantim pudesse alterar os dados das usinas e da logística, montando cenários a cada semana e mês do ano.

Principais parâmetros:

Arquitetura utilizada no sistema
  • Programação dos fornos
  • Programação dos moinhos
  • Características, dimensões e quantidades de equipamentos
    (fornos, silos, moinhos, carregadores)
  • Paradas e turnos da fábrica
  • Janelas de tempo dos CDs
  • Pedidos
  • Pallets
  • Frota
  • Rotas
  • Tempos de trânsito
  • Estoques iniciais
  • Targets
  • Demandas dos CDs e do Porto.

As principais saídas (KPIs) geradas pelo modelo são:

  • Total produzido
  • Estoques nos silos e nos CDs
  • Pendências de produção para atingir venda
  • Pendências de transferência.

Resultados e Ganhos

Historicamente, os modelos de simulação são feitos com escopo em manufatura ou em logística. No entanto, aqui tivemos a integração das fábricas do nordeste com a rede de distribuição. Essa integração foi fundamental, afinal as restrições da fábrica impactam diretamente no planejamento logístico e não podem ser desconsideradas. Com este modelo, a VC implantou uma nova sistemática para o planejamento logístico integrado de seu sistema produtivo com a logística de distribuição. Os ganhos são expressivos, já que o modelo proporciona resultados mais precisos, auxiliando a VC a diminuir o atraso nas entregas de seus produtos, melhorar a comunicação entre fábricas e logística e afinar suas políticas de PCP e estoques.