• Case Vale

    Case Vale

    SIMCAT - Simulação da Capacidade do Porto de Tubarão.

    por Anderson Bodart - Depto. TI

"Economia de milhões de USD através do mais complexo projeto de simulação já desenvolvido na América Latina."

Modais utilizados pela ValeSobre a empresa

A Vale é líder mundial no mercado de minério de ferro e pelotas, 2ª maior produtora global de manganês e ferroligas, além de maior prestadora de serviços de Logística do Brasil. Presente em 13 estados brasileiros e em quatro continentes (Américas, Europa, África e Ásia), é um dos mais importantes e produtivos grupos empresariais brasileiros. Além de minério de ferro e pelotas, a Vale produz manganês, ferroligas, bauxita, caulim, alumínio e alumina.

Sua operação logística inclui uma extensa rede de ferrovias, portos e terminais. A logística de transportes integra importantes regiões, permitindo a expansão da fronteira agrícola brasileira e a produção de mais alimentos. A empresa é responsável por 15,6% da movimentação de cargas no Brasil e 57,9% da movimentação portuária de granéis sólidos, levando o desenvolvimento para diversas regiões.

Modelo de Simulação do SIMCATObjetivos e escopo

O Complexo Portuário de Tubarão tem localização privilegiada em Vitória, no Espírito Santo. Embarca mais de 98,4 milhões de toneladas de cargas variadas, como minério de ferro e pelotas, carros, produtos siderúrgicos, contêineres e grãos. O SIMCAT teve como escopo as operações de minério e pelota no terminal: recebimento ferroviário, usinas geradoras de pelotas, estocagem, recuperação e embarque nos navios.

Existe uma demanda crescente de países da Europa e da Ásia (China). Os estudos para grandes investimentos em áreas e equipamentos eram, tradicionalmente, executados de forma muito simplista em MSExcel. As motivações para o SIMCAT foram:

Como atender a essa demanda crescente?

  • Grande quantia paga a navios em 2003, resultante de atrasos de embarque (multas).
  • Analisar os impactos decorrentes da introdução do ULOC (Ultra Large Ore Carrier - o maior navio de cargas do mundo), uma parceria entre a CVRD e a Baosteel - China.
  • Obter o máximo de aproveitamento dos recursos, considerando: embarques simultâneos através dos píers existentes, descarga simultânea dos trens nos viradores de vagões, áreas disponíveis para a estocagem do minério, número de balizas disponíveis para cada grupo de produtos etc.

Desenvolvimento modular

Pela alta complexidade e dimensões do projeto foi criado um sistema que integra 3 diferentes modelos de simulação, com funções complementares:

Capacidade do Porto de TubarãoGerador de fila de navios: a partir de uma previsão de vendas, gera a fila probabilística de navios no período (baseado no comportamento histórico e nos tipos de cientes e produtos), com todos os atributos destes (cargas, cliente, prazos, calado etc.).

Gerador de fila de trens: a partir da fila de navios, cria os lotes ferroviários que chegam no terminal através de uma geração probabilística baseada no histórico de abastecimento e restrições de transporte e disponibilidade nas minas para cada produto.

Modelo completo: cruza dados de demanda (navios) e abastecimento (trens) realizando o empilhamento baseado em diversas regras específicas.

Resultados e Ganhos

O SIMCAT opera com uma interface em MSExcel, através da qual é possível alterar todos os parâmetros do modelo para a configuração de novos cenários. Através desta interface também é possível programar as demandas do período da simulação e, ao final desta, observar os resultados encontrados. A configuração rápida de novos cenários contendo as demandas previstas, permite à CVRD definir com exatidão os investimentos adequados para atender os próximos 10 anos de operação, obtendo economias de milhões de USD em investimentos inadequados e assegurando o atendimento a demanda.