• Case Petrobras - Rebocadores

    Case Petrobras

    Simulação do uso de rebocadores nas operações de alívio para navios tanque na Bacia de Campos

    Por Ricardo M.S. Accioly - Depto. Exploração e Produção*

"ProModel propicia economia mensal de US$ 210.000 para a Petrobras."

Sobre a empresa

Rebocadores - Navio Tanque

A Petrobras é uma companhia integrada que atua na exploração, produção, refino, comercialização e transporte de petróleo e seus derivados no Brasil e no exterior.

Com sede na cidade do Rio de Janeiro, a Petrobras possui escritórios e gerências de administração em importantes cidades brasileiras como Brasília, Salvador e São Paulo. Além de estar presente em diversas localidades nas quais existem representações das suas subsidiárias, a Petróleo Brasileiro S/A. possui ainda escritórios em Londres, Nova Iorque e Japão.

Com 38.225 empregados, a Petrobras tem um faturamento bruto de cerca de 22 milhões de dólares e lucro líquido de aproximadamente 1,2 milhões de dólares. Além das atividades comerciais, a Petrobrás também desenvolve pesquisas relacionadas ao petróleo e é líder mundial na tecnologia de exploração e produção em águas profundas.

Objetivos e escopo

Na Bacia de Campos, no litoral do Estado do Rio de Janeiro, os sistemas de produção atualmente existentes tem um perfil de escoamento de petróleo prioritariamente marítimo. Uma grande parte do petróleo é escoado através da utilização de navios tanque. Nas operações de alívio de navios tanque são utilizados rebocadores que auxiliam na movimentação destes durante sua permanência na locação. A presença destes é indispensável ao andamento das operações. Neste aspecto, o maior número de rebocadores disponíveis no sistema minimizaria os atrasos decorrentes da falta destes.

Modelo de escoamento de petróleo no Promodel

Por outro lado, estes rebocadores tem custo elevado, portanto um número excessivo tornará elevado os custos operacionais. Uma decisão cuidadosa sobre o número correto de rebocadores usados nestas operações, requer uma quantificação da relação entre o atraso esperado, com a conseqüente perda de produção, e o número de rebocadores usados. O modelo foi desenvolvido para esclarecer esta relação.

Os principais custos envolvidos no projeto são a taxa diária de um rebocador (US$7000) e as perdas devidas à interrupção ou diminuição da produção. Usando-se a simulação no ProModel, desejava-se verificar o comportamento do sistema através da simulação das operações de alívio para Navios Tanque para diferentes cenários.

Resultados e Ganhos

A expectativa inicial da Petrobras era utilizar 5 rebocadores, mas a simulação mostrou que 4 rebocadores eram suficientes para atender as necessidades operacionais, evitando o dispêndio diário de US$7000. Este é apenas um dos muitos projetos desenvolvidos pela Petrobras com o ProModel, e certamente não será o último. O ProModel vem se tornando uma ferramenta importantíssima de apoio às decisões na empresa, bem como um instrumento de reflexão antes de se agir. As pessoas envolvidas com simulação na Petrobras ressaltam que o ProModel permite a experimentação de políticas complexas e diferenciadas, o que se configura como um diferencial no ambiente dinâmico e competitivo do mercado de energia.

*Resumo de palestra proferida na Innovation 99