• Case Correios = MG

    Case Correios

    Reorganização do setor Sedex Centro Operacional de Belo Horizonte.

    por Valter Luis Muha - Gerente regional*

"Aumentando a eficiência com simulação e implantando arranjo celular."

Sobre a empresa

Os Correios estão presentes, rigorosamente, com pelo menos uma agência, em todos os 5.561 municípios atualmente existentes no Brasil. No ano de 2001, o total da carga postal foi de mais de 9,5 bilhões de objetos e correspondências.

A necessidade de um constante aprimoramento da sua capacidade operacional está exigindo um grande esforço de modernização da sua infra-estrutura e um reposicionamento em sua atuação com vistas a melhor atender as necessidades e expectativas do mercado brasileiro e internacional. Nesse sentido, a empresa está desenvolvendo um grande número de projetos que estão dando aos Correios uma condição excepcional de competitividade e de vanguarda

Objetivos e escopo

O espaço para as operações de triagem do SEDEX no Centro de Operação de Belo Horizonte se encontrava totalmente defasado, fato causado pelo crescimento acima de todas as expectativas. O processo não era improvisado de maneira nenhuma, mas necessitava de urgente reformatação. A triagem era feita em todos os lugares do setor devido à falta de espaço; as prateleiras estavam encostadas nas paredes, impossibilitando o fluxo contínuo das encomendas; portas serviam como entrada e como saída simultaneamente, causando congestionamentos de carrinhos nos corredores; a mesma encomenda passava pela triagem até duas ou três vezes antes de ser expedida.

Operação de triagem dos Correios antes das mudanças

Com o projeto de simulação com o Promodel, os Correios buscavam implantar o layout celular, visando entre outras coisas a diminuição do estoque em processo, a redução do número de carrinhos e a expedição direta e imediata das principais direções de triagem de cada setor.

Resultados e Ganhos

Centro operacional no Promodel e o real

O Centro Operacional de Belo Horizonte reportou inúmeros benefícios advindos do projeto de simulação. Entre eles, destacamos a facilidade na apresentação da nova proposta de layout para gerentes, chefes e supervisores envolvidos, permitindo que todos conhecessem o projeto antes de sua implantação. Este conhecimento prévio permitiu algumas correções na idéia original, evitando perdas de tempo e dinheiro.

Tudo isso diminuiu as expectativas negativas com relação à implantação do layout celular e reduziu quase que por completo as resistências à mudança. Outro ponto que vale destacar é o melhor conhecimento e entendimento dos processos e fluxos de produção, os quais são propiciados pela simulação. Isto permitiu que o treinamento dos empregados para o trabalho no novo layout fosse mais eficiente, bem como tornou possíveis o balanceamento e a organização do processo. Isto também tornou mais fácil a supervisão, já que os processos ocorrem agora de forma organizada e em locais específicos. O estoque em processo diminuiu consideravelmente, propiciando melhor aproveitamento da área útil do setor.

Além disso, os índices de dupla/tripla manipulação foram reduzidos significativamente, e hoje cerca de 50% dos objetos sofrem apenas uma manipulação. Os envolvidos no projeto de simulação do setor de Sedex dos Correios - BH vêem vários desdobramentos para seu trabalho, e já estão pondo suas idéias em prática. Uma delas é a avaliação do efetivo através da experimentação de diferentes cenários do modelo, permitindo que se atinja o nível ótimo de funcionários para a operação.

Outra idéia que está sendo posta em prática é a elaboração de uma versão executável do modelo para a chefia do Centro Operacional, o que possibilitará análises diárias de impactos no setor decorrentes da variação do volume de objetos a serem tratados. Este é apenas um dos vários projetos desenvolvidos pelos Correios com o Promodel, o qual se tornou uma ferramenta indispensável para a manutenção da condição de competitividade e vanguarda adquirida ao longo dos anos.

*Resumo de palestra proferida na Innovation 99